(11) 4228-5096
(11) 94480-0060

Controle de cupins

Como a temperatura do ambiente influencia diretamente na reprodução das principais pragas urbanas, com a proximidade da primavera/verão a tendência natural é do aumento progressivo das ocorrências com as diversas pragas e destacamos uma que pode causar grandes prejuízos que é o cupim. Quem nunca perdeu um móvel devorado por cupins não sabe o que é ter que tentar controlar esse tipo de praga. Nos centros urbanos, os cupins são responsáveis pela destruição de muitos objetos feitos em madeira ou que contenham celulose.

Sobre o cupim

O cupim é um inseto sendo conhecido popularmente como térmite, siriri ou aleluia, dependendo da região. Com mais de 2.000 espécies catalogadas em todo o mundo, os cupins são famosos por causar prejuízos econômicos. Se considerarmos a quantidade de espécies, a ordem dos cupins é intermediária entre os insetos. Mas, em termos de biomassa e quantidade de indivíduos, os cupins se assemelham às formigas.

Tipos de cupins urbanos

Para fins de estudo, classificamos os cupins em dois tipos: os cupins de madeira seca e os cupins subterrâneos.

Cupim de madeira seca

Os cupins de madeira seca se instalam dentro das peças e móveis de madeira com baixa umidade. São comumente encontrados em estruturas de madeira de telhados, estuques, armários e em qualquer peça de madeira. Embora as colônias não sejam muito grandes, esses cupins causam sérios estragos, pois sua detecção só é possível quando o ataque já está em níveis avançados de destruição.

O ataque acontece pela criação de galerias dentro da madeira, onde os cupins se locomovem e se reproduzem. Geralmente só se percebe a presença da colônia quando as fezes (pozinho) são descartadas para o lado de fora da peça de madeira.

Cupim subterrâneo

Os cupins subterrâneos são considerados uma importante praga urbana de grande potencial de destruição. Alimentam-se não apenas de madeira, mas também de qualquer outro material que contenha celulose e, diferentemente dos citados acima, precisam de umidade para sobreviver.

Por esse motivo, geralmente a colônia é desenvolvida no solo, em ocos de árvores, em caixões perdidos de edifícios, lajes com enchimento, rebaixo de pisos, colunas de hidráulica, jardins, etc. Nas construções, não importa se a madeira está em contato direto com o solo para que seja atacada. Construções de alvenaria são as mais visadas, pois esse tipo de cupim constrói as galerias de acesso através de fundações, paredes, tubulações, entre outras estruturas. Podem atacar o revestimento dos fios elétricos causando por vezes curto-circuito e até incêndio.

Os indivíduos operários desse tipo de cupim se deslocam entre colônia e a construção em busca de alimento utilizando túneis construídos de uma mistura de terra e saliva.

Organização dos cupins

Assim como outros insetos, os cupins são animais sociais. Possuem formas jovens e adultas, sendo que os indivíduos adultos podem se dividir em dois grupos: sexuados alados (machos) e as fêmeas, com a função de espalhar a colônia no exterior.

Além deles, ainda existem o rei e a rainha cupim, que têm como função primordial se reproduzirem dentro da colônia. Uma rainha pode viver entre 25 e 50 anos. Existem também os cupins ápteros (sem asas), que são os operários e soldados.

Os cupins operários realizam praticamente todas as funções de uma colônia, como alimentação, limpeza e construção. Já os soldados são responsáveis pela defesa da colônia, ainda que, eventualmente, prestem auxílio aos operários.

Reprodução

A reprodução externa dos cupins acontece entre os meses de setembro e pode ir até março do ano seguinte com a revoada dos machos e fêmeas alados, que saem da colônia para encontrar ambientes favoráveis à criação de uma nova sociedade. Após a formação de um casal, os cupins pousam e perdem suas asas. Procuram, então, abrigo, selando o ninho com a própria saliva e dejetos. Assim, ocorre a cópula e os ovos são postos pela nova rainha. A primeira geração de filhotes é cuidada diretamente pelo rei e pela rainha, até que tenham produzido operários suficientes para a função. O ninho é expandido e a rainha aumenta consideravelmente de tamanho, crescendo em potencial reprodutor. Uma colônia demora de 2 a 4 anos para amadurecer e, então, o processo se reiniciar.

Importância ecológica

Apesar de serem mundialmente conhecidos como pragas urbanas, os cupins possuem uma grande importância ecológica. São considerados consumidores primários e também decompositores, auxiliando na transformação da matéria e energia. Também auxiliam na aeração e nutrição do solo ao transportarem nutrientes e abrirem suas galerias subterrâneas. Essas funções ecológicas estão presentes na maioria das espécies de cupins, de modo que apenas uma minoria causa prejuízos diretos ao homem e aos centros urbanos.

Como acabar com cupim

Se a sua casa apresenta alguma suspeita de infestação por cupins, procure um Biólogo ou uma empresa idônea de controle de pragas para identificar a espécie e traçar uma estratégica adequada de controle que venha de encontro a sua realidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Atendemos toda a região da Grande São Paulo.

Open chat
1
Olá,
Como podemos ajudá-lo?
Powered by